Declamações Líquidas – 01

Publico aqui o primeiro de uma série de áudios com declamações de poemas que eu gosto. Com licença poéticaAdélia Prado Quando nasci um anjo esbelto,desses que tocam trombeta, anunciou:vai carregar bandeira.Cargo muito pesado pra mulher,esta espécie ainda envergonhada.Aceito os subterfúgios que me cabem,sem precisar mentir.Não sou tão feia que não possa casar,acho o Rio de…

Qualquer coisa que brilhe

PRADO, Adélia. Miserere, 2013: Ed. Record São eternos esta oficina mecânica, estes carros, a luz branca do sol. Neste momento, especialmente neste, a morte não ameaça, tudo é parado e vive, num mundo bom onde se come errado, delícia de marmitas de carboidrato e torresmos. Como gosto disso, meu deus! Que lugar perfeito! Ainda que…